I.A. pode potencializar as estratégias de Marketing

A inteligência artificial é a simulação da capacidade humana de conseguir aprender e resolver problemas. Ela é importante porque o volume de dados que precisam ser analisados nos dias de hoje é muito grande, em torno de 2.500.000.000.000.000.000 (2,5 quintilhões) de bytes. O interessante é que 90% desses dados existem há apenas 2 anos. Ou seja, tem sido quase impossível analisar cada dado individualmente, ainda mais com o crescimento da Internet das Coisas e o número de conexões entre aparelhos de cada pessoa (smartphones, smart TVs, smartwatches, etc).

Segundo estudos, a cada 4 pontos de contato e 4 canais, ocorrem aproximadamente 256 jornadas de compra. É importante pontuar que essas jornadas de compra não são mais lineares como antigamente, ou seja, cliente recebendo estímulo, escolhendo e comprando, racionalmente.

A partir disso, é feito o seguinte questionamento: Como engajar clientes cada vez mais rigorosos?

Um dos pontos mais importantes é a criação de interações pessoais sem quebra. Não é só vender o produto e seguir em frente. É necessário manter contato constante com os clientes, a fim de gerar fidelidade. Outra necessidade é encontrar insights nos dados dos clientes. As análises feitas podem trazer muitas informações valiosas sobre o comportamento dos clientes e como eles reagem aos estímulos de sua marca.

É necessário que os pontos de contato sejam omnichannel, e que não sejam distintos, ou seja, o cliente deve ter a mesma usabilidade e atendimento tanto nos canais online quanto offline. Entregar experiências personalizadas também é parte importante do processo de engajamento. Considerando que um dos aspectos do cérebro irracional é o egocentrismo, mostrar que cada cliente é especial e tratar cada um individualmente é uma das chaves para a fidelidade.

Apesar de ter tantas qualidades, muitas empresas ainda não se sentem preparadas para aplicar a Inteligência Artificial em suas estratégias de marketing. Muitas acreditam que é um processo caro e complicado de ser aplicado, mas na verdade é o contrário. A Inteligência Artificial não exige conhecimentos novos e específicos dos profissionais de marketing. Por exemplo, a utilização de tags em sites já é parte do processo. Outras funções que podem ser realizadas é o reconhecimento de imagens, recomendação de conteúdo, soluções de marketing, análises preditivas e assistência em marketing. Um exemplo notável dessas funções é usado pela empresa Netflix, que categoriza as preferências de cada usuário e recomenda novas séries e filmes de acordo com o registro anterior.

Além de trazer uma experiência ótima e única para o consumidor, que vai ter facilidade em escolher novos títulos para assistir, é muito mais fácil organizar os dados enviados sobre os clientes: que gênero é mais assistido? Qual a taxa de desistência em determinado tipo de filme? Quais títulos podem ser adicionados, a fim de agradar ao público? Utilizar a ferramenta de A.I. para personalizar ofertas pode aumentar as vendas em até 40%, segundo estudos.

Para isso acontecer, é necessário que exista um banco de dados previamente composto dos clientes da empresa. A partir desse banco de dados é que a A.I vai conseguir trabalhar em soluções. De nada adianta querer aplicar essa ferramenta sem ter um ponto de partida.

Outro ponto interessante e que pode trazer benefícios são os alertas em tempo real. Timing é tudo! Com a rapidez que a coisa tem mudado nos dias atuais, perder o momento certo de uma ação pode ser desastroso. Com a constante leitura de dados que a Inteligência Artificial faz, é possível aumentar o nível de engajamento dos seus clientes, se você estiver no timing correto.

O tempo passa de forma diferente na internet. Enquanto na vida real podemos esperar horas por um atendimento presencial, na internet esse atendimento precisa ocorrer em segundos! Antecipar necessidades é um ponto crucial para criar audiências, e isso pode acontecer através da leitura de dados recorrente.

Além de facilitar e melhorar a questão de tempo, é possível economizar até 40 pessoas que trabalham em atividades corriqueiras e simples, como redimensionamento de imagem.

A Inteligência Artificial veio para facilitar a vida dos profissionais de Marketing, dar mais autonomia e agilidade para a empresa e gerar insights sobre clientes, portanto permite que o profissional foque mais na estratégia de marketing do que na operação. O uso do A.I e outras soluções permite um crescimento exponencial e maior que os concorrentes que não a usam. Existem diversas soluções baratas no mercado que podem ser utilizadas inclusive por pequenas empresas.

Daphné Chermont

Connections Director

Fonte: Webinar realizado pela IBM com o tema “Inteligencia Artificial aplicada ao Marketing”


16 Dicas de Tendências para Experiências de Marca

   Experiências de marca positivas geram resultados reais e criam um buzz significativo tanto através do boca a boca quanto nos meios digitais e sociais. Mas é mais fácil falar que fazer. Conseguir atrair e engajar um público tem sido cada vez mais difícil. As pessoas procuram por experiências humanas, enriquecedoras, inteligentes, responsivas e pessoais, e estão constantemente atacando experiências que elas consideram invasivas, impessoais, ou simplesmente desinteressantes. Sua empresa tem apenas uma chance de impressionar – senão você vai perder seus clientes para alguém que está fazendo coisas maiores, melhores, e que fazem mais sentido para quem está participando.

   Baseado no FreemanXP da TrendLab, listamos 16 itens que você deve considerar para melhorar suas experiências de marca. Esses itens foram divididos em quatro partes, assim fica mais fácil navegar pelo que está acontecendo por aí.

Tendências de Marketing

Essas táticas podem te ajudar a se conectar e se comunicar com o público para ter interesse e atenção.

  1. Falar Visualmente

Em épocas de Periscope, Snapchat e Instagram, um novo vocabulário visual é a principal maneira de se comunicar com Millennials. Marcas precisam aprender a transformar mensagens em gramática gráfica, usando fotos, vídeos e outras imagens para complementar ou até substituir textos. Pistas visuais criam uma sensação de fluxo e fazem as coisas serem instantaneamente reconhecíveis, criando impacto na experiência.

  1. Sequestrar Eventos

Muitas vezes não é possível simplesmente marcar e programar as promoções de marca para sua experiência funcionar, é necessário criar o momento certo. “Sequestrar” eventos significa embalar uma campanha chamativa, interessante e que vai gerar engajamento de todo o evento com sua marca. Assim é possível criar oportunidades de comunicação chave.

  1. Semear Marcas

Reputação ainda é um elemento essencial no Marketing. O boca a boca é incomparável, principalmente com a ampliação digital de opiniões. Ter pessoas para redistribuir o conteúdo certo para viralizar é essencial. As marcas não esperam os rumores começarem para agir, elas estão construindo o buzz antes, durante e depois do evento, com conteúdo interessante e compartilhável e calls to action inteligentes e divertidos, que fazem as pessoas realmente quererem participar.

  1. Ao Vivo

De acordo com a Nielsen, gastamos em média 11 horas com conteúdo digital por dia. As linhas entre on e offline estão desbotando, enquanto as pessoas esperam cada vez mais por experiências para se conectar com as marcas perfeitamente entre plataformas digitais e analógicas. Abraçar a tecnologia na hora de pensar em como apresentar conteúdo e interação com o público é crucial.

Novos Formatos de Evento

Desenhar o mesmo evento ano após ano pode deixar o público sem inspiração. Melhore seu formato com essas tendências que permitem que o público interaja com as marcas.

  1. Incubadoras de Colaboração

Eventos presenciais são os ambientes mais colaborativos que existem. Focar o espírito de troca de informação em resolver problemas importantes de base social e de indústria transformam os eventos em incubadoras de colaboração, onde pessoas trabalham juntas e criam coisas novas através do poder da cooperação e parceria.

  1. Curadoria de Conteúdo

Criar uma base do conteúdo do evento para cada brand experience é muito importante, mas é necessário um bom olho para curar o enorme número de sessões, vídeos, pop-ups e produtos lançados em relação a um evento. Quem tiver essa função, deve ver o evento pelo lado do público, escolhendo a dedo o que é necessário ter e colocando tudo junto em um formato atrativo, informativo e acionável.

  1. Engajamento Inspirado no Varejo

A experiência varejista é cuidadosamente desenhada para ter um caminho certo desde a porta de entrada. Desde a forma como os vendedores devem te tratar até a forma que a marca se comunica depois das vendas. Algumas das técnicas varejistas podem ser muito úteis em brand experiences, como incentivos, sorteios, quiosques, entre outros, para criar engajamento com o público.

  1. Aventuras de Evento

Com tantas coisas para ocupar nosso tempo e tantas distrações, eventos precisam ser muito especiais para que o público libere espaço na agenda para comparecer. Dessa forma, empresas procuram maneiras criativas de articular sua mensagem de maneira inesquecível. É possível “aventuras” que vão transformar a experiência em algo estimulante, excitante e único, enquanto as pessoas mergulham na marca.

  1. Patrocínios Valiosos

O patrocínio tradicional está morrendo. O reconhecimento das marcas leva os patrocinadores a quererem um papel mais integrado nos eventos, para entender o valor de seus investimentos. É um bom momento para ver o que está saindo dessa parceria também. Ter os patrocinadores certos cria um valor adicional.

  1. Experiências Multissensoriais

Eventos são uma fonte constante de estímulos visuais e auditivos que pode ser uma experiência cansativa para o público e um desafio para as marcas presentes. Como ser ouvido acima do barulho e preparar uma experiência engajadora que se destaque? Usando uma abordagem multissensorial que incorpora estímulos físicos! Vale usar mudanças de temperatura, aromas, mudanças na pressão do ar, qualquer coisa que explore os sentidos de forma diferenciada, além do tradicional uso da visão e audição, para criar experiências imersivas e memoráveis.

Formar Propósito

Mais e mais pessoas procuram propósito em tudo que fazem. Conecte-se com seu público com coisas que realmente importam para eles, com tendências que vão unicamente de fazer network até foco filantrópico.

  1. Atenção Plena

Seja em um evento ou mesmo no dia a dia, às vezes é difícil manter o foco. Em eventos presenciais, isso é ainda mais complicado, considerando que as coisas são ainda melhores se as pessoas estiverem completamente imersas no momento. Algumas empresas estão criando momentos de atenção plena, para ajudar o público a se engajar mais profundamente. Isso permite que as pessoas se livrem das distrações e tenham mais facilidade em conseguir insights, como em salas de meditação ou descanso.

  1. Valores Compartilhados

Filantropia tem se tornado cada vez mais importante, graças ao espírito doador dos Millennials. Mas eles são um tipo diferente de doador que as gerações anteriores – eles querem dar seu dinheiro e tempo para causas que eles acham importantes, e se conectar com marcas que compartilham suas crenças. Experiências de marca podem se tornar uma plataforma que conecta responsabilidade social corporativa com a próxima geração de filantropia.

  1. Descobertas Sociais ao Acaso

Às vezes é tudo sobre estar no lugar certo na hora certa. Viver experiências é uma oportunidade única para pessoas que podem nunca mais cruzar caminhos para se conectar em espaços compartilhados. Reunir um grupo diversificado de pessoas em um evento, com a energia da experiência alimentando o espírito imaginativo dos participantes, mistura-se com a magia de um encontro casual e torna-se o berço de novas ideias, empreendimentos empresariais, entre outros.

Tecnologia e Data

Tecnologia está permitindo que criemos mensagens e conexões através de múltiplas plataformas. Enquanto os dispositivos móveis onipresentes e pilhas de dados novos representam enormes novas oportunidades para as marcas, essas tendências destacam algumas maneiras que você pode utilizá-la para suas experiências de marca.

  1. Mapeamento de Localização

Esse tipo de ação pode explicar um pouco mais sobre uma informação valiosa: o comportamento do público nos eventos. É possível ver como as pessoas se movimentam pelo evento. Dessa forma, é possível customizar experiências usando esses dados. Também é possível usar essa tecnologia para dar alguma informação ao público, que está ligada a certa localidade do evento, e guiá-los a locais de interesse baseados em seu comportamento e histórico.

  1. Etiqueta Tecnológica

Tecnologia pode ser um tanto penetrante e até invasiva. Não existe uma regra muito clara sobre todos os toques, ligações e vibrações que os smartphones trazem. Quando está tudo bem atender uma rápida ligação, se você nunca está sem seu telefone? Deveria tirar uma selfie agora ou esperar um momento mais propício? Qual comportamento é aceitável e qual não é? Continuamos tentando desenvolver regras sociais para como e quando tecnologia deve ser usada, afetando o desenho das brand experiences, encorajando pessoas a equilibrar as experiências ao vivo com a tecnologia.

  1. Segunda Tela

Já estamos acostumados a estar sempre com nossos celulares em uma das mãos, independente do que estarmos assistindo ou fazendo. Pessoas querem poder consumir conteúdo instantâneo sobre o que elas estão experienciando no momento. Marcas estão percebendo que existem muitas possibilidades e insights que podem vir da segunda tela. Não só eles podem atender os desejos do público, mas podem também utilizar essa tecnologia para atenuar o engajamento e interatividade, recebendo feedback em tempo real para saber o que funciona e o que não funciona.

   Entender o comportamento dos participantes do evento é crucial. É importante lembrar também que cada evento tem um público e comportamentos diferentes, então vale a pena tirar um tempo pra estudar a melhor forma de chamar a atenção e trazer interatividade para a marca. Analise o que faz mais sentido para sua marca e use as emoções para se conectar a pessoas. Construa memórias positivas para engajar participantes. Levando esses pontos em consideração, sua brand experience vai ser muito mais relevante para os participantes, impulsionando seu negócios e aumentando resultados!

Daphné Chermont

Connections Director